Jardim de Infância
Particularidades
  • Idade: 3 - 5 anos
  • Crianças por sala: 23
  • Horário: 07h30 - 19h30
  • Transporte: Disponível
  • Almoço: Incluído
  • Lanche: Incluído
  • Equipa: (1) Educadora | (1) Auxiliar
  • Inglês: Incluído

O Amanhã da Criança possui a resposta social de Jardim de Infância, com capacidade para receber, no total, 115 crianças.

O Jardim de Infância dispõe de 5 salas (23 crianças/sala) e recebe crianças dos 3 aos 5 anos de idade.


Horário:

De segunda a sexta, entre as 07h30 e as 19h30.

Encerra nos feriados, Dia de Carnaval e Dia de S. João.

O Amanhã da Criança funciona durante os 12 meses, com obrigatoriedade das crianças se ausentarem por um período de 22 dias, a escolher pelos pais.


Atividades extracurriculares:

3 anos: BabyBasket, Ballet, Dança Criativa, Expressão Musical, Ginástica e Karaté.

4 anos: BabyBasket, Ballet, Dança Criativa, Expressão Musical, Ginástica, Karaté e Natação.

5 anos: BabyBasket, Ballet, Dança Criativa, Expressão Musical, Ginástica, Karaté, Natação e Xadrez.

Inclui:

- Alimentação (exceto produtos não incluídos na lista de produtos alimentares específicos, fornecidos pela Instituição);

- Acompanhamento técnico e pedagógico da criança das 08h às 16h ou 09h às 17h;

- Língua Inglesa;

- Seguro;

- Transporte para atividades extracurriculares realizadas no exterior e visitas de estudo, desde que seja com o nosso autocarro, se houver disponibilidade.


Não inclui:

- Produtos de higiene pessoal da criança;

- Uniformes;

- Serviços técnicos de apoio especializado;

- Atividades Extracurriculares.

- Transporte ao domicílio.


Mensalidade:

O cálculo da mensalidade é efetuado através da seguinte fórmula:

RC = (RAF/12–D) / N


Em que (RC) representa o rendimento per capita, (RAF) o rendimento (anual ou anualizado) do agregado familiar, (D) as despesas mensais fixas (valor da renda de casa/empréstimo e/ou despesas com medicação de doença crónica devidamente comprovada) e (N) o número de elementos do agregado familiar.


A simulação da mensalidade só é efetuada depois da admissão na instituição ser aceite.


Depois de admitido/a, se pretender uma simulação, deve entregar, na secretaria, os seguintes documentos:

- Folha do vencimento atual (3 últimos recibos)

- Amortização ou renda da casa

- IRS mais atual


Sustentado pelas Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar (OCEPE), as quais constituem um quadro de referência com um conjunto de princípios gerais, cada educador estabelece metas e objetivos que pretende trabalhar, planifica e desenvolve planos adequados ao nível de desenvolvimento infantil e proporciona aprendizagens de acordo com o modelo curricular.


Deste modo, o projeto curricular abarca quatro fundamentos e princípios educativos enunciados nas OCEPE:

- O desenvolvimento e a aprendizagem como vertentes indissociáveis no processo de evolução da criança;

- O reconhecimento da criança como sujeito e agente do processo educativo;

- A construção articulada do saber;

- A exigência de resposta a todas as crianças;


Assente no conhecimento e nas observações diárias de cada criança realizadas pelo educador e na sua relação com a família no contexto escolar, o educador define um plano individualizado em resposta aos interesses e às necessidades da criança e da família, no qual distinguem-se três áreas de conteúdo:

Área de Formação Pessoal e Social – é considerada como área transversal, pois tem conteúdos e intencionalidade próprios, está presente em todo o trabalho educativo realizado no jardim de infância.Esta área incide no desenvolvimento de atitudes, disposições e valores, que permitem às crianças continuar a aprender com sucesso e a tornarem-se cidadãos autónomos, conscientes e solidários.


Área da Expressão e Comunicação – é entendida como área básica, uma vez que engloba diferentes formas de linguagem que são indispensáveis para a criança interagir com os outros, dar sentido e representar o mundo que a rodeia. Sendo a única área que comporta diferentes domínios, é precedida de uma introdução que fundamenta a inclusão e articulação desses domínios:

- Domínio da Educação Física;

- Domínio da Educação Artística;

- Domínio da Linguagem Oral e Abordagem à Escrita;

- Domínio da Matemática.


Área de Conhecimento do Mundo é uma área em que a sensibilização às diversas ciências é abordada de modo articulado, num processo de questionamento e de procura organizada do saber, que permite à criança uma melhor compreensão do mundo que a rodeia.


A criança é um ser ativo no processo de aprendizagem através de diversos projetos, definidos de acordo com os seus interesses e motivações, os quais promovem experiências diversificadas e proporcionam à criança oportunidade de interagir com os pares, de sentir-se responsável pela sua própria aprendizagem, de desenvolver competências de comunicação, de confiança, liderança, decisão, reflexão e de resolução de conflitos, de escolher e assumir a responsabilidade das suas escolhas e de compreender e identificar os seus progressos aumentando a autoconfiança.


«Consideramos a infância um período privilegiado (…) uma vez ser um período caracterizado por uma maior plasticidade mental e, por tal, por uma maior probabilidade de se exercerem efeitos positivos e duradouros no trajeto escolar e, por inerência, no trajeto de vida»

(Araújo, S. (2004). Desenvolvimento vocacional na infância. In Taveira, M. (Coord.) Desenvolvimento Vocacional ao Longo da Vida. Coimbra: Almedina. pg. 216).

Tendo como ponto de apoio, as Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar (OCEPE), as quais constituem um quadro de referência com um conjunto de princípios gerais, cada educador estabelece os objetivos que pretende trabalhar, de acordo com o modelo curricular. O papel do educador é o de orientador desse processo de aprendizagem, gerindo todo o grupo de crianças.


Deste modo, o currículo a desenvolver abarcará quatro fundamentos enunciados nas OCEPE:

- O desenvolvimento e aprendizagem como vertentes indissociáveis;

- O reconhecimento da criança como sujeito do processo educativo;

- A construção articulada do saber;

- A exigência de dar resposta a todas as crianças.


Assente nestes pressupostos, as OCEPE distinguem três áreas de conteúdo como forma de pensar e organizar o planeamento, a intervenção e a avaliação da aprendizagem da criança. Apresenta-se uma breve abordagem de cada área:


Área de Formação Pessoal e Social - Nesta área de conteúdo é privilegiada a capacidade de reflexão, o espírito crítico e a interiorização de valores espirituais, estéticos, morais e cívicos, nos contextos sociais, através das relações e interações significativas com o outro, numa perspetiva de educação para a cidadania.


Área da Expressão e Comunicação - Compreende três domínios: domínio de expressões - motora, dramática, plástica e musical - são meios de comunicação que apelam para a sensibilização estética; domínio da linguagem oral e abordagem à escrita, a qual se baseia na aprendizagem através da exploração lúdica da linguagem verbal e não-verbal, através de rimas, trava-línguas, lengalengas, observação de gravuras, expressão de sentimentos, entre outros, proporcionando também contacto com as diferentes funções do código escrito; por último, o domínio da matemática, permitindo à criança que, através da vivência e experimentação de situações, coloque questões que lhe permitam desenvolver o raciocínio lógico-matemático e noções matemáticas como: classificar, seriar, ordenar, medir, pesar, etc.


Área de Conhecimento do Mundo - Permite à criança explorar as oportunidades e restrições dos objetos, do seu corpo, do espaço, contribuindo para um melhor conhecimento do mundo.


Metodologia de Projeto

Baseados nos referenciais curriculares supracitados, são desenvolvidos projetos de sala, nos quais a criança é o investigador para a resolução dos seus problemas, desenvolvendo assim a sua inteligência e as competências.


Assim, a metodologia do projeto implica a criança como um ser ativo no processo de aprendizagem, integrando a criança no contexto escolar, na comunidade e na família, permitindo ainda que, ao longo do ano, sejam vividos diversos projetos de acordo com os interesses e motivações de cada grupo de crianças.

A avaliação caracteriza-se como um processo contínuo, permitindo, deste modo, ao educador, através de um processo de observação, de registo e outras formas de documentação, que permitem refletir e tomar decisões sobre as práticas, melhorar a qualidade dos contextos educativos e, acima de tudo, compreender o processo de desenvolvimento da criança.

Assim, avaliar as aprendizagens das crianças, através da utilização da documentação pedagógica permite, ainda, estabelecer uma comunicação com os pais, envolvendo-os no processo educativo dos filhos.

Neste sentido, o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI), documento formal, permite ao educador organizar, operacionalizar e integrar todas as respostas às necessidades e expetativas da criança e da sua família.

O Plano Individual é avaliado e revisto, sempre que necessário e no mínimo, duas vezes por cada período a que se reporta, através do envolvimento de todos os interlocutores internos ou externos (educadores de infância, ajudantes de ação educativa, família, outros colaboradores) tendo em consideração a faixa etária e o respetivo ritmo individual do desenvolvimento da criança.

- Serviços Administrativos: 229 783 190 (Chamada para a rede fixa nacional)

- Receção: 220 998 342 (Chamada para a rede fixa nacional)

- Coordenadora Pedagógica: 220 996 688 (Chamada para a rede fixa nacional)